36 voltas ao Sol e as 50 perguntas que podem guiar a tua vida

Acredito que quando alguém faz anos cabe-lhe a si a responsabilidade de dar. Afinal, o que se celebra é a sua vida e essa vida não seria a mesma sem as pessoas que o acompanham. O aniversário é, assim, o momento perfeito para o aniversariante dizer aos outros o quão importantes são para si.

Hoje, completo a minha 36ª volta ao Sol e, por isso, cabe-me a responsabilidade de oferecer algo.

Quando fiz 32 anos escrevi um texto relativo ao meu aniversário. Repeti o processo quando fiz 33, 34 e 35 anos. Hoje, reli cada um desses textos. Gostei de umas coisas, não gostei de outras. É contudo interessante perceber que as minhas ideias principais se vão mantendo ao longo dos anos. Foi bom dar esse rápido mergulho no passado. Dá mais algum sentido ao momento presente.

HB

Este ano, que marca a entrada inexorável na segunda metade da 4ª década de vida, resolvi novamente dar algo. Desta feita, mais do que um texto com as minhas reflexões e uma certa tentativa de balanço da minha vida, resolvi partilhar perguntas.

Compilei algumas das perguntas em que mais penso e que, por isso, mais uso para moldar a minha vida.

Umas são perguntas que me faço há anos e, outras, são perguntas que me comecei a colocar há menos tempo. Não tenho respostas perfeitas para elas nem sei se algum dia as terei, sei apenas que a busca pelas respostas é, em si mesmo, a melhor resposta.

Partilho estas questões porque acho que o mais importante é saber fazer perguntas. Perguntas pertinentes. Perguntas difíceis. Perguntas que que nos fazem pensar.

Num mundo de dedo leve no gatilho das respostas, a arte de parar e questionar é cada vez mais importante. É isso que nos confronta com as nossas escolhas. É isso que nos leva a ponderar o que fazer. São as perguntas que nos levam a avaliar as nossas ações. São as perguntas que nos levam a definir quem queremos ser e onde queremos chegar.

Partilho hoje 50 perguntas. Amanhã, a lista poderia ser um pouco diferente porém, o essencial da minha reflexão pessoal fica traduzida neste conjunto. A tua lista poderá ser parecida ou muito diferente; seja como for, espero que as minhas perguntas te possam despertar algumas dúvidas e até desconforto. Se o conseguir, já me terás dado uma bela prenda neste 36º aniversário.

  1. Foste melhor hoje do que foste ontem?
  2. Estás a trabalhar no sentido de aproveitar as capacidades que tens?
  3. Tens verdadeiros amigos? O que tens feito para aprofundar a relação com eles?
  4. De que tens medo? Porquê?
  5. Estás a lutar contra os teus medos?
  6. Sabes em que é que te distingues dos demais?
  7. Trabalhas no sentido de potenciar aquilo em que és naturalmente bom?
  8. Tens dado graças por tudo o que tens ou focas-te no lado mau das coisas?
  9. O que tens feito para ajudar os outros? Como podes aumentar de forma exponencial esse teu contributo?
  10. Consegues estar no momento presente e desfrutar, apreciando a jornada enquanto percorres o caminho?
  11. Dedicas tempo de qualidade às pessoas de quem mais gostas?
  12. Poupas o dinheiro que deves poupar?
  13. Sabes quanto dinheiro precisarás de ter acumulado no dia em que deixares de trabalhar?
  14. Tens algum ódio de estimação? Vale mesmo a pena?
  15. És alvo de críticas? Se sim, são justas? Se não, estarás a fazer algo de suficientemente marcante?
  16. Que legado queres deixar?
  17. És um bom exemplo para uma criança?
  18. Desistes quando o trabalho fica realmente difícil e onde acrescenta real valor?
  19. Esta semana meditaste? Estás a fazê-lo de forma disciplinada?
  20. Conseguiste proporcionar contextos de complexidade crescente àqueles que trabalham contigo?
  21. Deste os parabéns merecidos à tua equipa?
  22. Os teus pais têm orgulho na pessoa em que te transformaste? E tu?
  23. Continuas preso aos problemas do passado ou aceitas o que viveste e olhas em frente?
  24. Aprendeste alguma coisa relevante hoje? E ontem?
  25. Ensinaste alguma coisa a alguém?
  26. Se as pessoas de quem mais gostas morressem, o que te restaria?
  27. A morte está mais perto a cada dia. Lembras-te todos os dias que o tempo é o bem mais precioso?
  28. Estás a viver a tua vida ou apenas a fazer aquilo que outros esperam que faças?
  29. Pensas pela tua cabeça ou és um joguete na mão de outros?
  30. Esforças-te para entender a perspetiva do outro ou fechas-te na tua?
  31. Dás contigo a queixares-te e com auto-comiseração?
  32. Quantas pessoas novas e que aportaram algo de positivo conheceste no último mês? Quantas conhecerás no próximo?
  33. Respiras 3 vezes antes de explodires num ataque de fúria?
  34. Ofereces aos outros aquilo que te faz mais falta ou só ofereces aquilo de que não gostas?
  35. Começas cada dia com um sorriso e a vontade de viver um dia inesquecível?
  36. Continuas a ter prazer com o teu trabalho?
  37. Estás a viver de acordo com os teus valores?
  38. Transmites boas vibrações ou afastas os outros?
  39. Quando afastas os outros, será sempre culpa deles?
  40. Medes a tua felicidade pela quantidade de likes nos teus posts?
  41. O que estás a fazer para produzir novas ideias, ideias transformadoras?
  42. Alocas tempo ao que é mais importante ou perdes-te em tarefas infinitas e sem qualquer valor acrescentado?
  43. Se fosse hoje o último dia da tua vida, partirias em paz, com a noção de teres vivido uma vida digna?
  44. Testas coisas novas ou só percorres trilhos já percorridos?
  45. Dizes “não” todas as vezes que devias?
  46. És bem-sucedido? Sentes-te realizado? O que estás a fazer para não seres bem-sucedido e miseravelmente infeliz?
  47. Quando ponderas fazer algo novo e desafiante, pensas no que é o pior que te pode acontecer? É assim tão mau? Justifica não arriscar?
  48. Estás a perseguir coisas realmente grandes ou perdes-te em caminhos pouco mais que irrelevantes?
  49. O Ego é, muitas vezes, o teu maior inimigo. O que estás a fazer para o controlar?
  50. És feliz?

Deixo um abraço de agradecimento por me acompanhares em mais esta volta ao Sol,

 

Hugo Belchior

PS. Há muito pouco tempo conheci a música do Daniel Martin Moore. Pese embora ainda a não ter explorado muito, há uma canção que vem a propósito e que recomendo: Golden Age. Aproveitemos cada Golden Age que vivemos.

6 pensamentos sobre “36 voltas ao Sol e as 50 perguntas que podem guiar a tua vida

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s